Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2011

OEA E BELO MONTE

Imagem
Republico aqui a reportagem abaixo que relata o restabelecimento da normalidade no processo de instalação da hidrelétrica de Belo Monte, alvo de mal entendido da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) da Organização dos Estados Americanos (OEA), provocada que foi por Ong´s nacionais e internacionais de direitos humanos atuantes no Brasil.

A quem interessa condenar a construção de usinas hidrelétricas, fonte geradora de energia limpa, mais barata e de poucas restrições? Por que as mesmas reações não são exercidas antes ou durante a construção de usinas termoelétricas ou de usinas nucleares? Certamente existem interesses econômicos externos em jogo, e os direitos humanos de alguns indígenas, já em fase de atendimento, estão a servir de pretexto nesta história.

Assista ao vídeo: http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=JhYd48tQav4

BRASIL, CREDOR INTERNACIONAL

Diante das notícias de que os países do BRICS, grupo formado pelo Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, vão se reunir na próxima semana em Washington e discutir como fazer para ajudar as nações em dificuldades da União Europeia, me vem à mente a pergunta: por que os chamados países “desenvolvidos” não se auxiliam entre eles ou não vão ao FMI? É com surpresa que vejo essa estória de ajuda dos BRICS a tais países, que, durante séculos, sobreviveram ditando as normas do Direito Internacional de maneira a explorar economicamente, via empréstimos a juros exorbitantes ou, mais diretamente, apropriando-se dos recursos naturais das nações em desenvolvimento.
Com efeito, os Estados hegemônicos, ditos “civilizados” - como bem consta na alínea c, art. 38, do Estatuto da Corte Internacional de Justiça, que cita entre as fontes do Direito Internacional, “os princípios gerais de direito, reconhecidos pelas 'nações civilizadas'” (quais nações?) -, prevalecendo-se dos seus poderios e…